Cobogós: iluminação e privacidade na medida certa

Elementos vazados permitem a entrada de luz natural e ventilação de forma sofisticada e autêntica. Solução ideal também para dividir ambientes sem bloquear totalmente a visibilidade, confira


Criação brasileira que ganha corações na arquitetura há quase um século, os cobogós são elementos vazados que permitem a passagem de luz e ar, separando espaços e criando uma estética muito autêntica.

De início, os cobogós chamaram atenção e cativaram as pessoas pela funcionalidade que inclui a ventilação, melhor aproveitamento da iluminação e integração de espaços. Hoje em dia, eles cumprem ainda uma outra função: fazem parte da decoração. Os desenhos das peças e as sombras geradas a partir da passagem de iluminação, que muda ao decorrer do dia podendo ser luz natural ou artificial, criam efeitos, formas e texturas únicas para o espaço onde estão aplicados. O uso das peças é bastante comum em variados ambientes, sejam eles áreas externas, como fachadas e muros, ou internas como área gourmet e living.

Outro ponto bastante positivo dos cobogós é que eles mantêm a privacidade dos espaços, mesmo deixando livre a circulação de ar e a entrada de luz. A paginação destes elementos confere certo ar de mistério por revelar partes do que está do outro lado da parede, algo que varia conforme o formato das peças, mas bloqueia a visão total do ambiente, mantendo a intimidade do recinto.

História dos cobogós

Esses elementos vazados nasceram nos anos 1920 da ideia dos engenheiros Amadeu Oliveira Coimbra, de Portugal, Ernest August Boeckmann, da Alemanha, e Antônio de is, do Brasil, e foram inspirados na cultura árabe, onde é muito comum o uso de painéis de madeira para interligar e fechar ambientes. O nome Cobogó é resultado da junção das sílabas iniciais dos sobrenomes do trio. As peças começaram a se tornar populares a partir de 1950, quando foram disseminadas pelo arquiteto Lúcio Costa e se tornaram um marco da arquitetura modernista.

De que são feitos os cobogós

Se no início os cobogós eram feitos, em sua maioria, de cimento e argila (tijolo), atualmente está bem diferente. São inúmeras as matérias-primas utilizadas para criar esse elemento vazado que agrega muita personalidade para os espaços. Madeira, cerâmica e os cimentícios estão entre as mais comuns de se encontrar no mercado.

Com a evolução da construção civil e das tecnologias aplicadas à decoração e arquitetura, os materiais utilizados também foram se desenvolvendo para criar novas possibilidades de cobogós. Os cimentícios, por exemplo, utilizam o melhor do cimento, que é a resistência, aliado a tecnologia para inovar no design e incorporar diferenciais na composição das peças.

Na Palazzo, os investimentos em tecnologias e inovação resultam na formulação de cimentícios que permitem novos designs e grafismos, bem como acabamentos distintos. Um deles ousou na criação, gerando uma variação de cobogós com o uso de polímeros translúcidos que permitem a entrada da iluminação e vedam o ambiente.

Essas inovações também abriram as portas para a criatividade de aplicar os cobogós em diferentes espaços. Quando surgiram, eles eram elementos bastante comuns em fachadas, sacadas e janelas. Atualmente, com cada vez mais interesse em valorizar a iluminação natural e ventilação, os cobogós cimentícios surgem como uma proposta atraente para todos os estilos de ambientes, internos ou externos.

Para você conhecer mais detalhes dos cobogós Palazzo, abaixo trazemos peças que aliam funcionalidade, estética e acabamento de alto padrão e projetos para te inspirar. Confira!

Cobogós em ambientes internos

ANGOLO

Cobogó Angolo na parede ao fundo da imagem em um ambiente gourmet

Projeto por Stach Bordignon Arquitetura (@stachbordignon) | Foto: Dennys Manske

EDGE

sala de estar com o cobogó Edge

LÚMINA EASY

Mesa de jantar centralizada na imagem com o cobogó lúmina easy na parede ao fundo

LÚMINA ELLE

Sala de estar com o revestimento aplicado em uma parede ao fundo

Projeto por Sopro Arquitetura (@soproarquitetura) | Foto: Evandro Becker

 

QUADRI

Sala de jantar com o cobogó quadri na parede lateral, dividindo o espaço do jardim de inverno

Projeto por Stach Bordignon Arquitetura (@stachbordignon) | Foto: Deehouse

Cobogós em espaços externos

ARBO

No cenário, um campo com gramado em um dia iluminado e o cobogó Arbo forma a parede lateral e o teto, projetando sua sombra no chão

ARESTA

Ambiente externo de uma casa com duas poltronas ao ar livre e o cobogó Aresta divide o ambiente externo do interno.

Projeto por Arq. Giovanni Borges (@giovanniborgesarquitetura) em parceria com Loja Versato Acabamentos (@versatoacabamentos) | Foto: Sputnik 360

TRAMA

Pátio com piscina onde o cobogó divide uma sala de estar coberta, da área da piscina e da garagem

VOID

Fachada externa da casa com o cobogó Void ao fundo, dividindo a área interna da casa e a garagem da área da piscina

Veja também

Black Week Palazzo

Condições especiais para garantir os revestimentos que você deseja para o seu projeto!
De 22 a 27 de Novembro, você garante 15% de desconto nos produtos selecionados e parcelamento em até 10x no cartão. Confira!

Tendência Cloffice: que tal um office no seu closet?

Ideia utiliza da criatividade para otimizar os espaços e manter a privacidade no escritório montado dentro do armário.

Conheça a Lúmina: linha de concreto translúcido da Palazzo

Tecnologia exclusiva apresenta peças que agregam a robustez do concreto lixado e propriedades translúcidas de polímeros internos, ideal para dividir ambientes e aproveitar a iluminação solar.